30 de mar de 2008

MATURAÇÃO

A quimera dos vivos
é acreditar na vã ilusão
de que nada irá dificultar
os dias que virão.

Hiberno no inverno
mantendo-me quente
e com o rosto lívido
aguardo que a primavera
seja minha festa.

No outono espero
que recomece o novo ciclo
o caminhar para uma vida nova
uma outra proposta
que deixa perguntas sem respostas
seguindo o passo vacilante
de quem leva uma vida errante.

E os livros que guardo na estante
ocuparam meu tempo com teses absurdas
de que a vida nada ensina
e quem nela apanha
aprende na marra
de que é preciso ter garra
para tomar a pinga amarga
que mostra que o dissabor
também é salutar
tão necessário para nos maturar.



Rafael de Paula.

Nenhum comentário: