23 de abr de 2008

Nem te vi

Pássaros das manhãs,
tardes e noites.
Para que lugares vão
após tuas existências?
Vejo-os em bandos
e todos os dias,
mas raramente encontro
um dos vossos
largado e sem vida.
Penso que sois
tão benditos
pela inocência
de vossa natureza
que jamais morram;
apenas somem daqui...
Os que são encontrados
talvez quisessem
não partir...


Osvaldo Heinze

Nenhum comentário: