30 de mai de 2008

Mistério

Maria menina cresceu linda
Se tornando uma linda mulher
Se apaixonou pôr um homem bom.
E com ele se casou.


O destino lhe pregou uma peça um
Um dia acordou e criança se tornou, a
Todos ela assustou com suas atitudes
De criança ficou.


A brincar com as crianças da vizinhança
ficava feliz, suas mão cheia de doces
com as crianças ficava a dividir.


Maria, quando chove para rua descalça fica,
a correr as vezes fica a rodopiar, dança na chuva
como bailarina, com um semblante de pura felicidade.


Seu mundo, para ela e perfeito, amado pôr todos
Principalmente pelas criança, vive a sorrir, mas
como todas as crianças as vezes chora, eu quando
a vejo chorar, vou com ela falar, ela a explicar que
seu filho, com ela foi brigar.


Eu fico ali, a limpar suas lágrimas misturada a doces e
Bolachas, que mesmo chorando, não para de comer.
Eu fico a olhar aquela cena uma criança a chorar
em um rosto de mulher, me da uma vontade de chorar
mas derrepente ela levanta, nem me vê e segue ,esquecendo o
que aconteceu.


Maria segue seu destino de pureza e mágia, que pôr ninguém
vem a descobrir, o que aquela mulher vem a sentir.

Eliza Gregio

Nenhum comentário: