3 de mai de 2008


POBRE MENINA
Menina de olhar triste tão pequena órfã ficou.
Três aninhos já cuidavam do irmãozinho.
Ali naquela pobreza aquela menina crescia.
Logo para escola ia, levava junto seu irmãozinho
que alegres corriam por aquelas ruas de chão.
Sonhadora e destraida viviam no mundo da lua.
Aquele jeitinho esquecido, as vezes parava a olhar
o carrinho de doces a passar, seus olhos brilhavam
naquele momento do mundo esquecia, ficava paralisada
a olhar ,acordada pelo irmão a menina voltava a caminhar.
Chegava na escola, as amiguinhas dela se desfazia.
Chorava quietinha no canto, com seu olhar tão perdido
voltava para casa, naquele longo caminho.
Parava e descansava.Logo tirava o sapatinho, rolava na grama a
brincar, levantando de novo seguia distraida como era o
sapatinho esquecia, chegando em casa vinha a perceber os
seus pezinhos descalça, em prantos chorava pois sabia,
que muitos dias descalça iria caminhar.
Eliza Gregio

Nenhum comentário: