25 de mai de 2008

Vou diluir a minha carne como liquido em terra
os meus ossos serão apenas mais ossos iguais a tantos outros ossos
e quem sabera que em meio aqueles ossos havia um coração pulsante
um coração amante,que da vida não queria nada,apenas vida
Eu deixo a minha vontade de sumir marcada com a dor forte no coração
e que o meu desequilibrio seja só lembrado como um momento insano.
Não como insana pessoa que sou

Bruna Novais

Um comentário:

Elly disse...

Bonito, Bruna, muito bonito! Parabéns!!!
Que o nosso momento de desequilíbrio seja tão somente um pequeno momento dentre os muitos grandes momentos que somos e vivemos... É o que também desejo!
Parabéns pelos belos versos.