5 de jun de 2008

homenagem feita a poeta Eliza Gregio

ela, a poeta Traz um ramalhete de flores na alma finge as dores
cristaliza e eterniza os amor esse faz um verso forte rima de sul a norte.
na simplicidade da alma na mansidão que acalma
é doce, também é mel talha a alma no branco do papel inspira-se no puro azul do céu
e os versos bailam sobre o pincel cobre-se do amor como se fora véu
desenhando flores no lindo painel, sem dores
É a poesia em gotas de mulher é da alma
o que o poema requer é a sensibilidade que voa indelével
pela alma de mulher!É sentimento voando ao léu
levando ventos e tormentos trazendo candura e ternura
no verso livre que voa busca as brumas levadas ao vento
cheias de magia e encantamento que são da poeta e da poesia, o alento!
(anjoazul, marta, mauro, carol, poetazul, josÉ magno, noite semsol, Ângela, ana, poemas....

Nenhum comentário: