8 de jun de 2008

INCÔMODO

Não me lembre que estou só,
Já me basta o não sabê-lo,
Pois assim não terás dó,
E eu, por fim, vá esquecê-lo.

Não me faças esquecido,
Do que seja a solidão,
Pra não ser compreendido,
Nos motivos sem razão.

E nem queiras conhecer,
Da razão qualquer motivo,
Vivo apenas pra esquecer,
A angústia de ser vivo.

O.T.Velho

Nenhum comentário: