14 de jun de 2008

MANIFESTO

Vamos fazer um manifesto

Um manifesto sobre nada
Dirigido a ninguém

Um grito de um mudo
Dirigido a um surdo

A luz que clareia
O caminho de um cego

Um manifesto

Para pedir paz na terra
Amor entre os homens
Comida aos famintos

Como múltiplos de zero
Como um vácuo no espaço

Um manifesto

Para não sermos ouvidos

...desisto!

Um comentário:

Beatriz disse...

Não desista, cara. Você está pregando no deserto para ouvidos surdos, mas a poesia sempre deixa poesias no ar.