14 de jun de 2008

Oitenta segundos... Uma eternidade...

No céu um sinaleiro
pairando igual colibri
amarelo... Vermelho!
Fazendo-me parar ali.

E no chão asfaltado
na faixa de pedestres
passando hipnotizados
lunáticos e terrestres...

Eu dentro do meu carro
flutuando no tempo
com meus olhos agarro
tudo que contemplo...

Medito ou sonho?
Tudo está tão bom...
E a paz que componho
é quebrada num fom!

O semáforo abrira
o colibri verdejou
o mundo me pedira

para voltar, então vou...

Osvaldo Heinze

Nenhum comentário: