31 de jan de 2009


Compra-se amor

Tantas lojas e ruas
com todo tipo de gente
de corpos presentes
cabeças na lua
olhares ausentes.

Em roupas belas ou cruas
pelo lado de fora
e por dentro? Ora... ora...
Igualmente nuas.

Mais lojas e ruas
menos a que preciso.
Procuro onde venda
um largo sorriso
um abraço apertado
um olhos nos olhos
meio envergonhado.

E se por força do acaso
quem nessa loja atender
não quiser me vender
mas sim trocar isso tudo...
me deixarei flutuar
num beijo longo e carnudo
no grátis de se amar...


Osvaldo Heinze

Um comentário:

Edson Bueno de Camargo disse...

Mercadoria rara caro amigo poeta.