21 de mar de 2009

A PENA QUE CARREGO

A PENA QUE CARREGO

A pena que carrego/ escreve linhas tortas/ transformando em prosa/ tudo aquilo que me incomoda// Entre Gregos e Troianos há os Espartanos/ que sempre lutam/ pelos seus objetivos/ e quem dessa batalha sai vivo/ compartilha sua memória/ para comemorar sua vitória// Só espero que o bobo da corte/ não faça de chacota/ todo o meu empenho/ e quando me olhar no espelho/ espero me orgulhar/ de tudo que já fora feito.


Rafael de Paula.

Nenhum comentário: