14 de mar de 2009

VIDA SEVERINA

Vida Severina
e o único desejo é uma cama
para descansar os corpos esqueléticos
que o duro sertão ofereceu.
A chuva é como um maná do céu
trazendo alento para todo sertanejo
que está a beira desespero
vendo seu gado perecer.
A vida passa na velocidade de uma ave de rapina
e aquele que deseja ser algo mais na vida
deve rezar a mediocridade da cartilha.
Prefiro contemplar o que é belo
no compasso dissonante do dia-a-dia.
Uma canção e qualquer obra me fascina
fazendo me crer que o paraíso
pode ser construído ainda nessa vida.

Um comentário:

Edson Bueno de Camargo disse...

Somos todos severinos sob o Sol.