3 de mai de 2009

não sou mais sábio

Edson Bueno de Camargo

minha mãe olha-me a face
veja que os fios de minha barba
imitam o algodão ao Sol
como teus cabelos

agora estou tão velho como tu
e no dia que mais quero os teus braços
sou tão pesado que nem posso me carregar

minha mãe
o tempo passou para nós
e não sou mais sábio que ontem
dos meus dias de herói
só carrego cansaço
da trajetória que sei
só o caminho dos astros no céu
à passagem do zodíaco

mas ainda posso ver o Sol nascer
pelo vidro de meus óculos
esquentar o frio da noite das canelas cansadas
na quenturinha do sentado na soleira da porta da rua

minha mãe posso dividir um sorriso
e te abraçar um abraço amigo
te recontar histórias e cantigas
antes que o dia termine para nós

Um comentário:

Judô e Poesia disse...

Lindo poema. Abraços. Domingos.