27 de abr de 2010

Miragem


Miragem

banhou-me a água
nos pés nus sobre a areia
acordando as minhas lembranças

tocou-me a brisa
com a suavidade do teu toque

mas não havia o seu cheiro
e o sol não brilhava sem teu sorriso

eram apenas meus desejos
despertados pela água

então, pra que respirar?

Rosane Oliveira

3 comentários:

Edson Bueno de Camargo disse...

No sexto verso, seria teu e não seu cheiro. no último verso, use para, o pra ainda não é uso formal da língua.

No tirante isto, o poema está muito bom, com seus fechamentos perfeitos.

Gerber de Sá disse...

Olá Rosana.
Gostei muito de seu poema, com certeza o recitaria.
Quanto ao artigo "as", no terceiro verso eu acho desnecessário, pois soa melhor sem ele.

Osvaldo Heinze disse...

Rosane...

Agora já bem sei
da beleza de teu coração
apaixonei-me sem conhecer-te
e também perdi o ar...

O.Heinze