1 de ago de 2010


...Sobre flores...

Dentro aqui, carrego
uma flor, enigma
será má ou benigna
nem sei, a renego.

Como pode assim
uma flor matar
com seu florear
roubar-me de mim?...

Sempre amei flores
de plástico, papel
de chão e de céu
mas essa de dores...

Mudou meu caminho.
Preciso do perfume
que me faça imune
do possível espinho.

Apesar de tudo
ainda é meu coração
um jardim de emoção.
Vivo ou me iludo?!..


Osvaldo Heinze

Nenhum comentário: