17 de jun de 2013

Desvaneio de uma sonhadora

Caminho segura sem medo a floresta adentro
Onde cada paço e uma abertura que faço na mata
Sangro cada tronco que chora entre folhas quebradas;
onde deixo meu nome e o dele   marcando o caminho.

Sinto o cheiro gostoso da mata que me acaricia aos poucos
Arranha-me sorrindo com o vento que me toca com violência
Esta aventura me aguça, aprofundo mata adentro sem medo.
Espreita-me por bichos que esconde entre os arbustos.

Seu cheiro me faz delirar ouço o piar da coruja e o cantarda passarada
a  liberdade que eusinto e forte como o vento que balança meus cabelos
 deito-me  ao lado do lago espelhado cansada da caminhadescanso
acordo  entre  lençóis brancos e vejo que era apenas um sonho .

Eliza Gregio

Nenhum comentário: