4 de mar de 2008

ALAÚDE

Vem do som do alaúde
Certa coisa que ouvi
Que tão rápida não pude
Perceber o que senti.

Eu não sei quem o tocou
Ou se apenas fui tocado
Por aquilo que pensou
O alaúde do meu lado.

Ou se só no esquecimento
Eu não tenha percebido
A incerteza do momento
De eu nada ter ouvido.

Marcus Di Philippi

Um comentário:

Elly disse...

Lindo, Marcus... adorei!!!