21 de mar de 2008

DESTINO

Minha vontade é facultativa
tudo que aspiro
termina no mesmo dia.

Esquivo dos percalços
como um esgrima
sem perder a pompa
dessa gente altiva
que não vacila
nas suas convicções.

A comida é indigesta
e durante a sesta
serei acordado de súbito
por um pesadelo
tentando exorcizar
todos os medos
que nos invadem
e nos fazem prisioneiros
de seus caprichos.

E todo dia negocio
com um déspota
chamado destino
que faz da sua vontade lei
para que eu possa aceitá-la
sem titubear dizendo amém.


Rafael de Paula.

Nenhum comentário: