22 de mar de 2008

Aborto

Tira sua vontade
de criar pensamentos
felizes
Alivia dor com bondade e esquece
que o dia amanha nao nasce...
Aborta essa sua carencia...
que te exila do mundo racional..

Me lembra de colher rosas vermelhas
Me ajuda..
mas me deixa aqui no meu canto..
e depois de dizer isso tudo
lembro que sou filha do mundo..
filha do mundo..
filha do mundo que me alcooliza
me dopa,me entristece...
Alcoolizada,5 doses a mais,1 maço que nao devia existir
me tira desse seu ventre...mundo
imundo..

em mundo
me aborta desse ventre
pq já nao consiguo mais conviver
com fetos em formação


Bruna Novais

Um comentário:

Osvaldo Heinze disse...

Oi Bruna!
Gostei de teu poema, parabéns!
Sei também dessa energia que você menciona no poema e vivemos no dia-a-dia e que para nós criadores de poesias é ainda mais sofrível pela nossa sensibilidade.
Mas que bom enquanto sofremos. Sinal que somos poetas de verdade, àqueles que sempre quererão um mundo melhor...
Abraços!!!