19 de mar de 2008

FRAGILIDADE

O mar que eu tanto temo
Também tem igual temor
é apenas meu extremo,
Um misto de sonho e dor

Me diz do medo que tem
Fingindo que eu soubesse
Para que eu diga também
Como se nunca o tivesse

Imagina que não o vejo
Cismando não me olhar
Como se fosse um desejo
Fingindo que não é mar.

Marcus Di Philippi

Nenhum comentário: