19 de mar de 2008

PENITENTE

No caminho do mosteiro,
O ente que lá vai ter,
Não vê tudo por inteiro,
O inteiro é nada ver.

O que vê é o resultado,
Do caminho que acontece,
Num instante do passado,
Que passado não parece.

Se isto tudo nada diz,
Não importa então chegar,
Que o caminho não te quis
Ao mosteiro revelar.

Marcus Di Philippi

Nenhum comentário: