9 de mar de 2008

FOLHA MORTA

"A poesia pertence ao poeta até o momento em que é escrita,
a partir dai ela pertence a quem lê"
Ibrahim Ibiza

Já não falo de mim, já não importa
E eu somente falaria sem falar...
Invejo-te completamente, folha morta
Trazes consigo a dor que te conforta
E eu minha total ausencia de estar.

E não é o fato de perder-me em tudo
Que faz nossa existencia assemelhada,
Sinto-te e no sentir calado e mudo
Faço de ti o meu proprio estudo
Sendo apenas eu a matéria estudada.

E nesse estado de coisas, imagino,
Que tudo isso não podia ser assim...
Tu nunca fostes o objeto que examino
Mas a lembrança, o choro repentino
De uma outra folha que existe em mim.

Marcus Di Philippi

Nenhum comentário: