21 de abr de 2008

CASAMENTO

Há muito tempo me diziam
o mundo não é dos ingênuos
e requer muita malícia.

E assim fui crescendo
sem muita ambição
respirando com meu pulmão
esse ar que asfixia.

Olhei para uma garota
e a achei esquisita
toda emperequetada
dando beijos na esquina.

Queria uma mulher recatada
me apaixonei por uma libertina
ela me queria por inteiro
e com muito molejo foi me conquistando
demonstrando de que eu era o seu mundo
tão profundo quanto qualquer filosofia.

Com o tempo fomos mudando
e aquela brincadeira
começou ficar mais séria
ela queria casamento
e eu, viver o momento.

Apesar da minha mocidade
tinha que adquirir novas responsabilidades
já tinha os nomes dos filhos
uma chamaria Sofia e o outro Mateus
e nosso casamento (fico pensando)
será um grande jubileu
e terá a presença de Zeus.


Rafael de Paula.

Nenhum comentário: