23 de mai de 2008

ALGODÃO DOCE

quando eu era criança
os domingos eram mais ensolarados
e o meu tempo era uma eternidade

hoje os meses passam como semanas
e há dias em que eu nem vejo de que cor o céu está

quando eu era criança
os doces eram muito mais doces
os sonhos bem mais coloridos

a solidão era um país distante

nosso quintal era um universo infinito

hoje mal caibo no mundo em que vivo...

eu não tinha vergonha de chorar e pedir colo
por qualquer motivo tolo
hoje carrego temeridades nas costas e em recluso segredo

quando eu era criança
os meus deslizes até tinham graça
hoje eu não tenho direito de errar

quando eu era criança
não compreendia tão bem as injustiças
mas nas historinhas
abominava os vilões: ‘homens maus!’

hoje receio que aos poucos
esteja me tornando um deles

a vida era um algodão doce: simples, suave, macia,
desmanchava de tão leve

a saudade de tudo isso não me amolava
e eu não sentia falta de quase nada...


Lidiane Santana

Nenhum comentário: