22 de mai de 2008

BRADO

Um gemido
Abafado pelo medo
Se junta a outros gemidos
Que em uníssono
Tornam-se maiores que um grito
Tão fortes como um brado
Ecoando pelas ruas
Acordando a tudo e a todos
Com a força de uma tormenta

Um brado
Para invocar força aos fracos
Energia aos cansados
Comida aos famintos

Um brado
Que como um grito de guerra
Dá fôlego a um soldado vencido.

Um comentário:

Beatriz disse...

Lembre-se de Rudyard Kipling, em "Se": "diante da derrota e da vitória encare igualmente essas duas impostoras".