14 de mai de 2008

ETERNA BUSCA

Por ilhas a milhas distantes,
Por instantes as minhas trilhas;
Tu filas os idílicos semblantes
Dilacerantes das minhas ilhas.

Por sonhos proponho a vida
Ainda que vida nem suponho
E exponho um sonho, ainda,
Na vida devida que eu sonho.

Encarcerado na carnificina
Da carne, na sina do fato;
Criei um mundo de faz de conta.

Encarnado na boca solferina,
Fiz arte que se atina no ato;
Desfiz um medo que me apronta.

Chris Clown Oliveira

Nenhum comentário: