14 de mai de 2008

FURACÃO CLOACA

Desorganização é um tormento
Neste mundo maluco de agora!
Mas eu sou de fora pra dentro,
E tu é que és de dentro pra fora.

Sou calmo no comprometimento
Do que faço por esta vida afora.
Mas és avassalador no detrimento
Na reconstrução que ti aflora.

Sou o centrípeto vago, sou o sereno
Olho que destroça o que é vedado.
És o centrífugo terror vivendo ao lado

Mesmo que ao longe pareça ameno.
Somos ainda sim, os raios de trovão,
Duas partes inerentes de um furacão.

Chris Clown Oliveira

Nenhum comentário: