10 de mai de 2008

RELICÁRIO

Repentino, súbito e leve
O meu pensamento calado
Já pouco sabe e não deve
Saber porque fui pensado.

Em tudo que ele condensa
Sou uma idéia tão fina
Que ele não viu como pensa
Só acha que a imagina.

Assim ele nunca me vê
Então atrevo-me a achar
Que ainda o tenho porque
A nada consigo deixar.

Marcus Di Philippi

Nenhum comentário: