23 de mai de 2008

SAMPA

pessoas
passos
apressados
correm
carros
no
asfalto
esburacado
caos
trânsito
parado
chega
chuva
enchente
surge
tempestade
tempo
urge
este
estado
extenso
estressa
sempre
lotado
lutando
pela
esperança
espelhada
nos
vidros
dos
prédios
arranha-céus
nas
praças
calçadas
em meio
a
meninos
meninas
mendigos
que
comem
o
que

haja
hoje
generosidade
tua
se
não
amanhã
amanhecerão
assaltantes
assombrando
assalariados
sem
automóveis
blindados
violência
desalento
miséria
riqueza
favoritismo
proteção
elite
massa
desunião
individualismo
cidadão
povo
políticos
promessas
vãs
vem e vão
brancos
amarelos
pardos
parvos
negros
mulatos
miscige-
Nação
contrastes
vidas
heterogêneas
São Paulo:
oportunidades
São Paulo:
desempregados
São Paulo:
paulistanos
paulistas
São Paulo:
retirantes
agregados
São Paulo:
socialites
São Paulo:
favelados
São Paulo:
à
sua
própria
sorte
o sonho
é ilusão
São Paulo:
subúrbio
São Paulo:
jardins
São Paulo:
GRANDE
São Paulo.
São Paulo:
inferno-de-Dante-urbano
São Paulo:
lugar
que
eu
mais
amo.



Lidiane Santana

Nenhum comentário: