14 de mai de 2008

UY E ARA

Alguns detalhes, sorrisos e fanfarras,
Olhos deslumbrados que olham a esmo;
Estão relapsos, disléxicos são garras
Rasgando toda nossa alma em sesmo.

Perambulando possam pedestres pensantes,
Não dividirem o sensível, o nosso desmo.
Complexo está disperso o espesso estanque
Do nosso olhar que nos sangra mesmo.

Mas já que somos seres redundantes:
Dois peixinhos num aquário sem água,
Captamos a estética do belo ao grotesco.

Inventando um outro mundo, bem antes,
Que qualquer um se atenha às mágoas
Lembramos de se esquecer do nababesco.

Chris Clown Oliveira

Nenhum comentário: