14 de nov de 2008

BLUES DE CADA PORTO

Me conte uma história triste, baby,
Me fale dos seus naufrágios
Projetos, passos incertos
Suas dores
Mortos amores, baby,
Seus belos horrores...

Depois me beije a boca, baby,
Um esperado beijo demorado
Sem amor e sem pudor
Sem nexo, sem saliva E sem sexo, baby,
Talvez piedade cristã!...

Me conte uma história triste, baby,
E eu lhe direi quem sou
Um verme, um vagabundo, baby,
Um palhaço
Um tolo sonhador
Um anjo caido sem par, um vampiro...

Depois faremos amor, baby,
Sem compromisso e promessa
Sem desculpas, sem culpa
Profano e sem pressa
Sem se preocupar
Se haverá o amanha!...

Macário Ohana Vangélis

Nenhum comentário: