26 de fev de 2009

em paredes

Edson Bueno de Camargo

roubarei-te sombras
em paredes
quando caminho sobre
pés de asas de borboleta

pois olhos espinho
observam roseiras
e choram pétalas
sem cor

o temor líquido
que acolhe mágoas de dragões
e porcelanas na cristaleira manchada de anos

inquilinos do outro tempo
bocas ensandecidas
rosas de pura carne
que mastigam
duros diamantes calcinados

Nenhum comentário: