8 de jun de 2009

Esperança

Dos sonhos, só me resta de consolo
Aquele que é exibido na padaria
Já que o indivíduo está acima do coletivo
O jeito é trilhar meu caminho sozinho como eremita.

Há quem diga que estes são desvairados
E eu os acho um bocado sensatos
Pois nesse mundo cão
Em que jogar criança pela janela
Para se espatifar no chão
É algo tão banal
Quanto beber água mineral.

Um comentário:

Edson Bueno de Camargo disse...

Beber água mineral é banal para nós que tudo temos, na África Subsaahiana uma garrafa de água mineral é mais cara que gasolina.

Banal mesmo é o sofrimento.