22 de ago de 2009

ENGANANDO A ROTINA

Em todo poema há uma pouco da alma do artista
Que constrói os versos como operário
Que coloca a mão na massa
Sem nenhuma vergonha de seu ofício.

Permanecer no seu quadrado
Não é coisa do verdadeiro poeta
Que vê poesia até no seu quarto mofado
que faz de sua musa até a Tati-quebra-barraco.

Se a arte imita a vida esta seria um tanto monótona
Já que naquela há muita fantasia para enganar a rotina.


Rafael de Paula.

Um comentário:

Elza disse...

Estas coberto de Razão! ^^