4 de out de 2009

Aliviada




no interruptor
o dedo
no ambiente
a penumbra
e o perfume nas narinas
presença
invisível aos olhos
sentida na pele
e no cheiro
o sorriso me saltou
aflorou a lágrima
na tranqüilidade da noite
o cheiro adentrou
adormeci
incorporada


Rosane Oliveira

Um comentário:

Edson Bueno de Camargo disse...

Gostei muito da foto.

As rimas nas oxítonas cansam um pouco, em um belo poema.