1 de out de 2009

Solve et Coagula

Por consequência de um simples ato impensado,
ofusquei o brilho dos seus olhos, com descaso.
Alivia-me ver qu’inda evola-se esperança do teu riso,
e sei que aguarda-me a dor e o siso, no corpo e no espírito.

Mas, por todos os poemas que em vida hei de cantar,
vem esta canção, por compaixão de mim, o teu perdão buscar.
Pois em meus devaneios, apenas aguardo nesse lençol,
nos teus olhos novamente ver mil sonhos e sol.

Um comentário:

Edson Bueno de Camargo disse...

O título do poema é muito forte, lembra que o poema é alquimia com as palavras.

O poema não é ruim mas se perde em rimas fáceis. É um pouco filosofista.