22 de mar de 2010

a luz para Fabrício Carpinejar.



Edson Bueno de Camargo


janelas engolem o sol por inteiro
e o golfam em forma de luz
para dentro da casa

há uma violência
no trespassar dos fótons pelo vidro
há uma dor sílica
destilada em fornos ardentes

o coração da luz
é deveras delicado
cristal indelével
que se rompe e se apaga

a qualquer momento
somos devolvidos à escuridão


Nenhum comentário: