22 de fev de 2008

Depressão

Que vazio e este, de onde vem;
tantas tristezas que em mim faz morada.
Tenho tudo e não tenho nada.

sempre procuro nunca alcanço
que sonho são estes que nunca encontro;
onde se esconde dentro de mim.

Tenho uma alegria triste.
Um amor meio descontente.
Uma felicidade,vazia.machucados sem feridas.

.Não consigo mais andar sozinha. tanto amores;
que me sufocam.me sinto doente;
E um mal sem cura teima; em me torturar aos poucos;
luto e choro contra este mal que;em mim já fez morada.
esta dor que me mata aos poucos; me faz sofrer e ate adoecer.

Os médicos a me multilar aos pouco;
já não sei o que fazer, isto me sufoca não me;
deixa viver. tudo passa rápido,vivo sempre a buscar;
em uma ansiedade sem fim, não posso parar para que este mal
não possa me alcançar.

02/02/2008escrito por Eliza A. G. Gregio

Nenhum comentário: