9 de jun de 2008

ANTIMATERIA

Esses meus versos

São cenas de horror,
histórias de amor,
E de artes marciais.

Idéias de louco,
Um cisco no olho,
Picadas letais.

Esses meus versos

De rimas cretinas,
De ervas daninhas
São sempre iguais.

Iguais aos meus dias
Aos Meus pensamentos,
A esses momentos
Que não passam mais.

Nenhum comentário: