2 de jun de 2008

TRANSFORMAÇÃO


TRANSFORMAÇÃO

Vivo em um andar lento, só tenho momentos tristes.
O tempo passa, eu em um casulo me consumi.
Fiquei a dormir, pôr muito tempo fiquei ali.

Lentamente acordei, daquele casulo me libertei
Minhas amarras, eu tirei nova vida.
Uma nova investida .

Uma linda borboleta me transformei
voei entre flores do meu jardim
misturei me entre lindas cores
E meu mundo eu colori.

De uma lagarta triste a rastejar entre flores
Hoje! Eu borboleta vivo em vôos livres entre flores
Buscando essência, de flor em flor.

Eliza Gregio

Um comentário:

Anônimo disse...

Nossa mae ....lindo esse poema...
amei beijos