24 de ago de 2009

PRIMAVERA

Preteri o pretérito
Para conjugar o verbo
No presente,
Passando a borracha
Nas estórias mal contadas
Que ficaram mal resolvidas.

Um dia qualquer
Escolherei a melhor mesa do restaurante
Para fazer planos para o futuro

Preteri minhas memórias
Por um pouco mais de calma
Pois minha alma continua tão viva quanto antes.

Na minha insensatez
Fiz meu cárcere
E vivo os dias
Dadaistamente de forma contraditória.

Um dia a glória
A noite a derrota
De manhã a indiferença
Como se todas as estações do ano
Passassem por mim
Com ar de primavera.



Rafael de Paula.

Nenhum comentário: