1 de set de 2009

Ostentação

Devemos reinventar nosso mundo constantemente
O que está em nossa casa
É tão importante
Quanto o automóvel que se exibi na estrada.

Não devemos olhar somente a casca
Pois o que está em nosso interior
É o que dá sentido as coisas.

Desenvolva sua espiritualidade
Vivemos no mundo da mera ostentação
Em que todos buscam seu ouro de tolo
Pois poucos tornam-se ricos
E a maioria pertence ao povo....(embora neguem)




Rafael de Paula

2 comentários:

Edson Bueno de Camargo disse...

Caro Rafael,

Vejo uma grande potencialidade em seus poemas, no entanto além de uma visível queda na qualidade em relação aos primeiros postados, onde havia uma relação autoral, me parece que o amigo poeta tem pressa de lançar seus poemas para fora de casa. Este mesmo postado tem toda uma possibilidade que devidamente esmerilhado e esmerado, contém erros ortográficos que não estão contextualizados, portanto erros mesmo, além do cuidado com a língua, devemos pensar na estética, que para mim enfraqueceu grande mente em sua produção.

Temos discutido muito estas questões em nossas oficinas, uma mão lava a outra, sempre saímos mais sábios do contato com outros que estão nesta faina que é escrever poesia.

Abraços,

Edson Bueno de Camargo disse...

Rafael não se sinta ofendido pelo que vos falo, não é de vossa pessoam mas do que tem escrito. A outros que publicam neste blogue também serve este recado, mas você é amigo de longa data e me senti a vontade para falar-lhe.