25 de jun de 2008

CARAVELAS

Digo que as caravelas são,
O meu anseio de conhecer,
Nos mares que existirão,
Aqueles que não posso ver.

Ergo os olhos do penhasco,
Para além de ver o mar,
Sou um navio sem casco,
E desisti de navegar.

Pois no abismo derradeiro,
Do horizonte sem vela,
Me tornei o mundo inteiro,
E perdi-me caravela.

O.T.Velho

Um comentário:

Ederson Rocha disse...

ô Francisco até ia postar algo, mas não estaria digno de estar em cima deste poema....